O mínimo para Viver e Romeu e Julieta


Quero falar de dois filmes que vi esses dias, um mais rápido do que o outro e eu vou explicar o motivo logo mais! Foram filmes que me tocaram de uma forma particular, também porque eu estava na TPM e sabe, a gente fica sensível. Bem, vamos lá.
O mínimo para viver

Lily Collins vive uma menina com anorexia que aparentemente se revolta contra qualquer tratamento ou internação, assim que sai de uma ela perde peso e tem que voltar. Até que um médico não convencional vivido por Keanu Reeves entra em sua vida, mostra métodos diferentes e se ela não quiser o tratamento “tudo bem”, ele faz ela perceber que precisa daquilo para se manter viva. Mas, o filme não é só isso não, ele fala muito do apoio familiar, no caso ela mora com a irmã e a madrasta, seu pai nunca aparece em casa e nunca foi numa consulta com ela.


Sua mãe está mais dedicada ao seu relacionamento atual, o que a madrasta culpa per homoafetivo, mas que no final era o que ela precisava, a garota precisava do colo da mãe, do afeto e da atenção. Tem uma cena muito interessante que a mãe “dá de mamar” para ela (água de arroz numa mamadeira em seu colo). Na psicologia vemos muitos desses traumas de infância porque a criança não foi amamentada suficientemente e inconsciente sente essa falta de ligação, está diretamente ligada à fase oral que é a primeira da criança e determina sua sobrevivência. Muitas pessoas com problemas na fase oral costumam ser ou viciadas em alguma droga, álcool, cigarro e ter distúrbios alimentares como comer quando se sente inseguro, triste ou solitário, porque remete ao colo e proteção da mãe. É um filme muito lindo, recomendo.

Romeu e Julieta (2013)


Vi em três partes porque partia meu coração cada jura de amor premeditada a morte. Achei a versão bem fiel e com a fotografia linda. As juras, os beijos e os toques, tudo tão verdadeiro e ao mesmo tempo tão sofrido e teatral.


As vezes me pergunto como seria se eles tivessem ficado vivos? O amor deles sobreviveria ao comodismo, as contas, finanças, cobranças de ser adulto? Será mesmo amor ou apenas uma paixão movida ao calor do momento? Sou suspeita, porque amo cada jura, cada verso, cada olhar e cada toque que os amantes podem ter trocado.
"Romeu, Romeu! Onde estás, meu Romeu?
Renega o teu pai e abdica o teu nome;
E, se não tiveres coragem, jura que me amas,
E eu deixarei de ser Capuleto."
Ai de mim um dia encontrar um poeta assim, como era Romeu. Embora não o queira empunhando uma espada e matando meus familiares (risos) acredito que ele seja o arquétipo do jovem apaixonado e que vive para isso, algo meio trovador eu diria. Isso me fascina, acho que devo ter vivido em outra vida na época que se passa a narrativa, porque tudo é muito mais que um sonho para mim quando se fala de Romeu e Julieta e ao mesmo tempo que me encanta, me corrói por dentro porque nada se pode fazer para mudar o destino trágico desses dois jovens.
"Devolve o meu Romeu, e quando ele morrer, corte-o em pequenas estrelas. E ele deixará a face do céu tão bela que o mundo inteiro se apaixonará pela noite."
Tenho que confessar que ainda não li o livro, mas já está na minha próxima lista de leitura para o próximo ano. Enfim, é isso, recomendo para vocês esses dois filmes chuchuzes, assistam, assistam. Bye!

E esse post faz parte...


4 comentários:

  1. Oi, Muryel! Também assisti recentemente esses dois filmes e amei! Como é sério esse problema de anorexia, não? A pessoa parece que fica cega. Mas como não tenho esse problema, pelo contrário, pensei em começar a fazer mais abdominais. kkkk Sobre Romeu e Julieta, que lindo! Sou apaixonada por essa história. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, esses problemas são muito sérios e bah, teve uma época que meu pai achava que eu tinha bulimia pq eu levantava da mesa e ia pro banheiro escovar os dentes e ele achava que eu ia vomitar (eu sempre fui muito magra e naquela época eu crescia mais do que engordava). Sobre Romeu e Julieta, amo amo amo!

      Excluir
  2. Opa, anotando o nome do primeiro filme. Gostei e vou ver. O segundo já não me interessei porque superei o Mr. Shakespeare faz algum tempo. rs
    Hoje estou no momento russos. aff

    baco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uuhh. Ok, te entendo, ainda não superei! Assista o outro!

      Excluir

Deixe um comentário aqui!
Comentário sujeito a moderação.

Era uma vez, uma menina... © Copyright 2011 - 2016. - Versão 9. Little nymph. Ilustração Martina Naldi. - Original de Muryel de Oliveira. Tecnologia do Blogger.